O que é o Santo Daime?

O movimento religioso do Santo Daime, começou no interior da Floresta Amazônica, nas primeiras décadas do século XX, com o neto de escravos Raimundo Irineu Serra, natural do Maranhão.

A motivação para a vida comunitária na Vila Céu do Mapiá vem da prática espiritual do Santo Daime, uma doutrina cristã baseada no uso ritual da Ayahuasca: uma bebida enteógena feita de folhas de um arbusto e um cipó, nativos da Floresta Amazônica, tradicionalmente usada por muitos povos indígenas nessa parte da floresta.

A Vila Céu do Mapiá é primariamente orientada pela profunda experiência de uma espiritualidade viva, que reconhece e celebra o Divino nas Forças e Presenças da Natureza – o Sol, a Lua e as Estrelas, a Terra, o Vento e o Mar – guiada pelos princípios éticos de Harmonia, Amor, Verdade, Justiça e Paz, e comprometida com o objetivo de uma nova vida e um mundo melhor para todos.

A Doutrina do Santo Daime foi fundada por Raimundo Irineu Serra (1892-1971), professor espiritual de Sebastião Mota de Melo. Mestre Irineu era um maranhense descendente de escravos, que nos anos 20 foi trabalhar no estado do Acre e conheceu a bebida entre os povos indígenas.

O Santo Daime é uma religião da floresta, genuinamente brasileira, que une elementos do xamanismo amazônico, fé cristã, conhecimento esotérico europeu e cultura afro-brasileira. É aberta, inclusiva e eclética, e representa uma síntese pacífica de muitas matrizes culturais. O trabalho espiritual do Santo Daime visa o autoconhecimento e a experiência de Deus ou do Eu Superior interior. 

O uso ritual da ayahuasca é permitido e regulamentado pela Lei brasileira. Pesquisas científicas mostram que o uso da Ayahuasca pode ser uma experiência de cura que leva a um melhor nível de bem-estar físico e mental.

Menu